Vale do Silício brasileiro: cidades nacionais indicadas para startups

ICE 2017 aponta endereços potenciais para iniciativas inovadoras no país.

12/02/2018 às 9:02

Você já ouviu falar do Vale do Silício, não é mesmo? Esse pólo de empresas tecnológicas norte-americano virou também o queridinho das startups mundiais e abriga grande parte das chamadas organizações exponenciais, empresas que crescem em um ritmo muito acima da média. Estar no Vale do Silício pode significar também aceleração do crescimento pelo contato intenso com investidores anjo e programas que viabilizam alavancar o crescimento de iniciativas promissoras.

Mas, e no Brasil, existem pólos tecnológicos e locais que concentram startups nacionais? A resposta é sim! Existem cidades que se destacam para quem procura por estrutura e investimento, mas em uma escala ainda inferior comparado ao Vale do Silício. De qualquer forma, o Índice de Cidades Empreendedoras (ICE 2017), elaborado pela Endeavor, aponta os endereços potenciais para iniciativas inovadoras. Um recorte das regiões que poderiam formar um Vale do Silício nacional se estivessem mais próximas, por exemplo.

Resumindo, se você tem uma ideia de startup para colocar em prática, fique de olho nestas informações! Com certeza, a cidade para estabelecer a sua empresa implicará nos resultados.

São Paulo

A capital paulista concentra mais de 60% de todos os investimentos de risco do país. Ela é também a terceira melhor no pilar de inovação, com a terceira maior proporção de empresas de tecnologia. Seu desafio é o capital humano, onde ocupa a 20ª posição de 32 cidades. São Paulo não tem tantos alunos em cursos de alta qualidade e conta com um grande número de empresas a procura dos bons profissionais. Soma que encarece a mão de obra para as empresas. Segundo outro estudo recente (The Global Startup Ecosystem, da Startup Genome em parceria com Global Entrepreneurship Network), a cidade abriga de 1,6 mil a 2,9 mil startups.

Florianópolis

A capital catarinense é a cidade com o melhor capital humano do país. Contratar profissionais com boa formação e até salários um pouco abaixo da média nacional torna-se algo mais simples na cidade. Além disso, se destaca como líder em inovação e por ter a maior proporção de mestres e doutores. Ao contrário de São Paulo, a média salarial do setor fica abaixo da de outras cidades, o que torna a região ainda mais atrativa. Seu desafio: o fato de ser uma cidade pequena. Por esse motivo, não só lá como em todo o país, é indicado que os empreendedores busquem o mercado externo. Em Florianópolis apenas 0,35% das empresas exportam.

Vitória

Vitória não é líder em nenhum dos pilares do estudo, mas tem resultados expressivos em todos eles. Na última edição do ICE, Vitória foi vice-líder em capital humano. Seu principal desafio está relacionado ao incremento do investimento em inovação para alavancar suas iniciativas e startups.

Recife

A cidade é a 6ª colocada em capital humano e tem a maior proporção de inscritos no ensino técnico. Recife também tem impostos mais baixos e processos burocráticos menos complexos, o que facilita alguns aspectos dos negócios.

Campinas

Campinas tem a 4ª melhor infraestrutura. A cidade também é 4ª em inovação, com a segunda melhor média de investimentos e incentivos para a inovação.

Gostou da notícia?

Telefônica
Vivo. Patrocinadora Oficial da Seleção dos Brasileiros
Viva Tudo
172.30.0.53