Descubra por que as casas pequenas e modernas são tendência

Nos Estados Unidos, as tiny houses estão em alta, e essa cultura sustentável também já começou a ganhar espaço no Brasil.

27/03/2018 às 21:22

Espaços compartilhados, hotéis como o CityHub, entre outras alternativas de consumo consciente surgem a todo momento. Entre os tantos projetos preocupados com sustentabilidade, estão tecnologias desenvolvidas para fabricar casas pequenas e modernas extremamente funcionais. Exatamente por isso essas moradias são tendência.

As chamadas tiny houses têm o desafio de garantir conforto e gerar o mínimo de impacto ambiental. Por serem pequenas, geram menos desperdício, podem ser adaptadas a energia solar com mais facilidade, entre outras alternativas amigas do meio ambiente. Nos Estados Unidos, as inovações que compõem essas casas pequenas e modernas estão tão avançadas que já existem até empresas que produzem minicasas em série e um concurso de design bem específico.

Casas pequenas e modernas são mais acessíveis

Em um primeiro momento, as minicasas norte-americanas até podem parecer caras, principalmente, se você converter para reais, mas levando em consideração que uma casa comum sai por muito mais que o dobro desse valor, vale a pena. Com ambientes bem estruturados, elas são construídas até por encomenda. O sistema é semelhante ao de casas pré-fabricadas aqui do Brasil. Em Oregon e Austin existem duas empresas referência no assunto.

Covo Tiny House 

A Covo Tiny House é uma empresa de Oregon que fabrica três modelos diferentes de tiny houses. A versão chamada de Mio tem muitos confortos, mas chama ainda mais atenção por ser construída sobre rodas. No estado norte-americano, para ter uma dessas, basta encomendar. Os valores partem de US$ 60.000,00 e podem chegar a US$ 85.000,00, conforme os upgrades.

Kasita

As casas pequenas e modernas da Kasita, fabricadas em Austin, também são muito interessantes. Os modelos têm até vidros que escurecem ou clareiam de acordo com à necessidade do momento.  Neste outro estado norte-americano, os modelos também são produzidos a partir de encomendas, mas são um pouco mais caros. Os valores variam de US$ 80.000,00 a 129.000,00.

Tiny House Design Competition

Nos Estados Unidos, o mercado de casas pequenas e modernas está tão em alta que a revista digital Volzero promove a Tiny House Design Competition. Entre os vencedores de 2017, estão projetos incríveis, que reforçam essa tendência e apontam para alternativas cada vez mais interessantes e funcionais.  

Ambientes flexíveis inspirados nos Transformers

O projeto campeão do Tiny House Design Competition 2017 é de Hong Kong. Chan Ting Leung Henry, Lau Yuan Lei Flora e Yuen Tung Hing criaram a Home.rar, com ambientes flexíveis. Isso mesmo, você consegue aumentar a dimensão do espaço que irá usar, enquanto os demais são comprimidos. Se você está na cozinha, ela fica grande. E, se você vai ao quarto, ele aumenta, “espremendo” a cozinha. O princípio é similar ao dos Transformers, robôs alienígenas da ficção cinematográfica.

Minicasa em formato de cubo mágico

O segundo lugar do concurso ficou com a minicasa Autonomous, dos suecos Mattias Nilsson e David Fjällström. Rotativa, no estilo de um cubo mágico, essa tiny house tem soluções espaciais diferentes para cozinhar, trabalhar, viver e dormir. E mais: duas rodas para ser rebocada e ter total mobilidade.

Tiny house sustentável do telhado ao alicerce

A medalha de bronze da competição foi para a Golpo Baksho, assinada por Debaditya Maity, Anwesh Das e Soumyajit Bagchi. Essa minicasa foi projetada apenas com materiais recicláveis. O visual homenageia a milenar cultura da Índia, país dos designers responsáveis.

Mas e no Brasil?

Por aqui também já existem iniciativas bem interessantes acontecendo, entre elas está o Pés Descalços. Trata-se de um projeto para quem busca eliminar excessos na vida.

Os responsáveis construíram uma tiny house para morar e rodar o país. Além disso, através de site e redes sociais, divulgam a ideia de morar em casas pequenas e modernas, com intuito de ampliar a discussão sobre consumo consciente.

A minicasa do Pés Descalços tem as seguintes características:

  • 2,6 metros de largura, 8 metros de comprimento, 4,3 metros de altura;
  • 5 toneladas de peso;
  • Construção em steel frame e madeira certificada;
  • Esquadrias com vidros insulados;
  • Sistema de captação e tratamento de água da chuva;
  • Energia solar;
  • Isolamento termoacústico em lã de garrafas pet e caixas Tetrapak recicladas;
  • Privada seca.

Você ainda pode assistir ao vídeo que mostra todos os detalhes da minicasa brasileira.

Gostou dessas casas pequenas e modernas? Adora novidades sobre tecnologia e sustentabilidade? Então continue navegando aqui no Vivo Tech e conheça iniciativas em biomimética, entre outros conteúdos relacionados.

campo obrigátório

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá o melhor da tecnologia no seu email