Táxi aéreo elétrico: confira como funciona

Duas empresas alemãs desenvolvem modelos diferentes de táxi aéreo elétrico, uma nova solução em mobilidade.

20/12/2019 às 9:00

Táxi aéreo é, certamente, algo rotineiro no transporte. Trata-se de aviões de aluguel, usados por quem deseja mais horários e destinos do que os oferecidos por companhias convencionais. Entretanto, há algo inédito surgindo no horizonte: o táxi aéreo elétrico. Nesse meio, várias empresas já trabalham no desenvolvimento dessas aeronaves. Duas estão bem avançadas e são as startups alemãs Lilium e Volocopter.

Mas qual o seu diferencial em relação ao táxi aéreo? O fato é que o táxi aéreo tradicional ainda precisa de pista e aeroporto, e por isso não vai a qualquer lugar. Além disso, não é recomendado para percursos curtos, a não ser que seja um helicóptero de aluguel. Sem dúvida, são problemas superados com os modelos elétricos da Lilium e Volocopter, confira abaixo.

Táxi aéreo elétrico já voa

Aliás, o táxi aéreo elétrico não está distante de se tornar uma realidade. Na Lilium, ele já completou a primeira fase de testes de voo. Confira no vídeo:

A Lilium pretende lançar suas operações para passageiros em várias cidades do mundo a partir de 2025. Marque esse ano, ele poderá então ser o da revolução na maneira como voamos: um avião elétrico, que decola e pousa em qualquer lugar.

Transição feita sem problemas

De acordo com a empresa, muito ainda tem que ser feito antes do lançamento do táxi aéreo elétrico. Porém, os testes de voo revelaram que o projeto não é uma fantasia futurística e tem, portanto, uma base real.

Os testes comprovaram que o avião da Lilium superou a barreira mais difícil para aeronaves movidas a motores elétricos. É a da transição entre a decolagem vertical (chamada, na linguagem da aviação, de eVTOL) e o voo horizontal. Afinal, o avião fez isso com perfeição e de maneira surpreendentemente suave.

Até 5 pessoas podem voar

O táxi aéreo elétrico da Lilium tem capacidade para cinco pessoas e é movido por nada menos que 36 pequenos rotores elétricos.

A propulsão do táxi aéreo elétrico se dá por um grande conjunto de rotores.
A propulsão do táxi aéreo elétrico se dá por um grande conjunto de rotores.

300 quilômetros em uma hora

A proposta é de ligação entre áreas relativamente próximas, com ganho de tempo em relação a transportes comuns. O objetivo é um alcance de 75 quilômetros em 15 minutos, 150 quilômetros em 30 minutos ou 300 quilômetros em uma hora. Imagine o que isso significaria a partir do ponto em que você está. A Lilium fez um mapa das possibilidades a partir de Manhattan, em Nova York, veja:

Mapa do táxi aéreo elétrico faz em uma hora viagem de Nova York a Boston, sem dispender tempo com operações de aeroporto, como check in.
Táxi aéreo elétrico faz em uma hora viagem de Nova York a Boston, sem dispender tempo com operações de aeroporto, como check in.

O protótipo está voando de forma autônoma, mas a operação comercial poderá ou não usar pilotos. A empresa concluiu a construção de sua fábrica e igualmente contratou um executivo experiente na área da aviação comercial para turbinar o empreendimento de táxi aéreo.

Necessidade de mais testes e dinheiro

E então, o que falta? Ainda mais desenvolvimento, mais testes. Por exemplo: até agora, o táxi aéreo elétrico voou apenas em velocidades pouco superiores aos 100 quilômetros por hora. Entretanto, ele deve superar os 300 km/h em sua versão definitiva.

Além disso, como toda startup, a Lilium depende de obter dinheiro de investidores. Atualmente ela está em fase de arrecadação, com meta de conseguir entre US$ 400 e 500 milhões, algo entre R$ 16,4 e R$ 2,5 bilhões. É muito dinheiro, mas os analistas garantem que o objetivo é alcançável. Já existem vários investidores interessados no táxi aéreo elétrico como forma de negócio.

Volocopter também com bom projeto

Outra empresa alemã, a Volocopter, que está há oito anos pesquisando táxi aéreo elétrico, arrecadou no mercado R$ 230 milhões para seu projeto. O trabalho também está avançado, veja este teste de voo feito em Dubai para conquistar investidores:

O Volocopter, como o próprio nome diz, é um protótipo de táxi aéreo elétrico que realmente se assemelha bastante a um helicóptero convencional. Entretanto, ele é movido por 18 motores e tem um voo completamente silencioso, o que permite seu uso sem perturbar ninguém mesmo nas mais movimentadas áreas urbanas.

Para dois passageiros e distâncias curtas

Ele é, contudo, bem menor que o modelo da Lilium. Transporta só dois passageiros e tem ainda uma autonomia reduzida: apenas 35 quilômetros, a uma velocidade de 110 km/h. Ou seja, é um modelo exclusivamente para uso urbano, para a pessoa que quer ir de um bairro a outro de uma grande cidade, voando por cima de engarrafamentos de trânsito.

Aliás, o público alvo do Volocopter é o empresário ou executivo que desembarca em um aeroporto e pega o táxi aéreo elétrico até seu escritório.

Dubai e Singapura, mercados preferenciais

Não há uma data definida para o início das operações comerciais do Volocopter, até por questões legais. Em suma, é que tanto Dubai quanto Singapura, cidades que são mercado preferencial da empresa, têm legislação proibindo o uso de aeronaves não tripuladas.

Interessante, não é? Aliás, se você gosta de aeronaves, está no lugar certo aqui, no Vivo Guru Blog. Dessa maneira, já escrevemos sobre carros voadores. E ainda sobre os melhores drones no mercado brasileiro. Para completar, que tal conhecer a legislação brasileira sobre drones? Boas leituras, então!

Gostou da notícia?

Veja mais sobre
TecnologiaUtilidades
campo obrigátório

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá o melhor da tecnologia no seu email