Psicólogo online: confira as novas regras

O Conselho Federal de Psicologia altera norma para ampliar a oferta de serviços psicológicos online. Confira as novidades!

23/01/2019 às 14:00

Você sabia que pode ser atendido por um psicólogo online? O Conselho Federal de Psicologia (CFP) atualizou recentemente a norma anterior sobre a regulamentação de “serviços psicológicos realizados por meios tecnológicos de comunicação a distância”.

Ou seja, a medida, válida desde novembro de 2018, busca ampliar as opções de oferta de serviços de psicologia mediados por Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC’s), o psicólogo online.

De acordo com o CFP, a iniciativa para a mudança da resolução surgiu a partir da demanda da categoria, durante a Assembleia de Políticas, da Administração e das Finanças (APAF), em dezembro de 2017.

O atendimento online já existe desde 2012. Porém, anteriormente, a prestação desse tipo de serviço era exclusivamente feita por meio de sites previamente cadastrados no conselho. Com o intuito de facilitar o acesso aos serviços de saúde mental, a nova norma anula essa obrigatoriedade.

Psicólogo online agora ganha maior visibilidade para acesso ao serviço.

A nova norma se adapta aos tempos atuais para promover a ampliação de acesso de pacientes ao serviço.

Dessa forma, a partir de agora, o paciente tem a opção de fazer a consulta online diretamente com o psicólogo – por Skype ou WhatsApp, por exemplo. Mas, para isso, é preciso que o profissional tenha cadastro aprovado no Conselho Regional de Psicologia. Isso garante a autorização para a prestação dessa modalidade de serviço.

Acessibilidade e democratização

A adaptação aos novos tempos e tecnologias ainda promove a ampliação de acesso e a inclusão de pacientes ao serviço.

Pessoas com mobilidade reduzida, como, por exemplo, idosos e deficientes, passam a ter maior facilidade de acesso e um número maior de alternativas. Sendo assim, a necessidade de se locomover até o consultório deixa de existir.

E mais: não há mais limite para a quantidade de sessões online – antes o máximo era de 20. Além disso, o atendimento psicoterapêutico torna-se legalizado, abandonando o status de caráter experimental.

Crianças e adolescentes também podem usufruir do psicólogo online. No entanto, é preciso autorização expressa de, ao menos, um responsável legal e validação da viabilidade técnica de atendimento por parte do profissional.

Entretanto, há exceções. O atendimento online a pessoas e grupos em situação de emergência, de violação de direitos ou de violência é vetado. Nesses casos, o conselho proíbe essa forma de tratamento por entender que a modalidade é inadequada e recomenda, portanto, a prestação de serviço presencial.

Psicólogo online pode atender grande parte dos casos, mas conselho exige atendimento presencial em alguns deles.

O conselho recomenda que grupos em situação de emergência, violação de direitos ou de violência sejam atendidos presencialmente.

E agora, como ficam os sites de psicólogo online?

Desde 2012, quando foi regulamentada a modalidade, empresas especializadas investem no novo nicho de mercado. Atualmente, diversos sites oferecem atendimento online no Brasil.

Com a Resolução CFP nº 11/2018, os profissionais de psicologia podem atender seus pacientes de forma direta, sem a obrigatoriedade de fazê-lo por um portal especializado.

Porém, isso não quer dizer que os sites deixam de existir. A Vittude, por exemplo, é uma startup que oferece o serviço de mais de mil psicólogos, nas mais variadas especialidades. O mesmo acontece com a Psicologia Viva, que inclusive atende conveniados do plano de saúde da Porto Seguro.

Em ambos os casos, todo o processo é feito online. Assim, o cliente faz o cadastro, busca o profissional que mais lhe agrada, faz o pagamento e a consulta. As iniciativas também dispõem de aplicativos (para iOS e Android) com as mesmas funções do desktop.

Psicólogo online tem número de sessões ilimitadas para pacientes.

Não há mais restrição com relação à quantidade de sessões online.

Veja as principais alterações da norma de 2018

Como vimos, os avanços tecnológicos devem ajudar a ampliar e difundir serviços ligados à saúde mental. Por isso, para acompanhar a demanda, o Conselho Federal de Psicologia atualizou as normas relativas ao atendimento psicológico online.

Confira abaixo quais são as principais alterações em relação à regra de 2012:

  • O limite de 20 sessões online deixa de existir e não há mais restrição com relação à quantidade de atendimentos.
  • Anula a restrição ao Atendimento Psicoterapêutico, que antes era válido somente em caráter experimental.
  • Amplia a possibilidade de serviços psicológicos prestados, como consultas, atendimentos, terapia e supervisão técnica.
  • A exigência de cadastro de um site deixa de existir e instaura-se a obrigatoriedade de cadastro individual no Conselho Regional de Psicologia e autorização para prestação de serviço online.
  • Ressalta que o atendimento a menores só será feito com o consentimento expresso de, no mínimo, um responsável legal e mediante avaliação de viabilidade técnica por parte do profissional.
  • Veta o atendimento online de pessoas e grupos em situação de emergência.
  • Também proíbe o atendimento por canais online a pessoas e grupos em situação de violação de direitos ou de violência.

Ainda na área de psicologia, descubra por que a Apple está em busca de engenheiros que entendam do assunto.

Aliás, outra boa dica de leitura: saiba quais foram os livros eletrônicos mais lidos em 2018 e aproveite! E continue conosco aqui no Vivo Tech. Até a próxima!

campo obrigátório

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá o melhor da tecnologia no seu email