ProXXIma 2018: o que aconteceu na tarde do primeiro dia

De eSports a geolocalização, descubra o que rolou no evento durante a tarde do dia 8

09/05/2018 às 14:15

O ProXXIMA 2018 reúne até esta quarta-feira, dia 9, nomes importantes do cenário digital para falar das novidades e tendências da área. Nós estamos fazendo uma cobertura especial do evento, e você pode ficar por dentro de tudo o que acontece por lá. Na tarde do primeiro dia do maior encontro sobre marketing e comunicação digital da América Latina, presenças importantes passaram pelo Sheraton WTC, em São Paulo. Acompanhe aqui os destaques da cobertura.

Como as marcas podem ganhar o jogo dos eSports 

Painel com Beto Vides, Rodrigo Rivelino, Cyrille Reboul e Leo De Biase no ProXXIma 2018

Painel com Beto Vides, Rodrigo Rivelino, Cyrille Reboul e Leo De Biase

O painel de discussão teve moderação de Beto Vides, Sócio Fundador e Diretor Geral, eBrainz. Ele falou do fenômeno que se tornaram os eSports, que para muitos não são considerados esportes. Porém, mesmo quem torce o nariz não pode desconsiderar o fato de possuir milhões de adeptos no mundo inteiro, e ser responsável por movimentar uma boa parte da economia. A indústria fatura o dobro das produções de Hollywood, segundo Beto, e possui a terceira maior audiência de jogos do mundo no Brasil, atrás apenas dos Estados Unidos e da China.

Os jogadores profissionais de videogames trouxeram oportunidades únicas para que as marcas engajem com seus fãs de forma arrebatadora. Isso porque o esporte eletrônico é muito envolvente, o que foi responsável pelas receitas gigantescas arrecadas pela indústria.

A discussão no ProXXIma 2018 contou ainda com a presença de alguns profissionais importantes na área. Rodrigo Rivellino, presidente e idealizador, Live Arena afirmou que os eSports são um movimento sem volta. Ele acredita que os diferentes universos do esporte se equiparam, no modelo tradicional e no digital, porque oferecem diversas oportunidades. Além disso, lembrou que os meios de publicidade convencionais não conquistam o público mais jovem, que geralmente prefere o ambiente online. Ainda assim, a área dos esportes eletrônicos abrange pessoas de todas as idades, e promete crescer cada vez mais.

Cyrille Reboul, francês radicado no Brasil, é CEO & Founder da Webedia Brasil. Ele acredita que devemos, como marcas, conquistar os consumidores nascidos depois dos anos 2000, que são essencialmente digitais. A taxa de retenção na frente das telas é de mais de 20 minutos, em um público de até 18 anos, algo extremamente raro. Quando falamos de perfil de consumidor, os gamers são muito seletivos na aceitação de marcas desse segmento. Elas precisam falar a língua desse público tão jovem e seletivo.

Já para Leo De Biase, CEO da ESL Brasil, audiência, frequência e mídia são essenciais para pensar nos esportes eletrônicos. Afinal de contas, eles são digitais, e esses meios necessitam de um perfil mais dinâmico de comunicação. Segundo ele, nesse segmento, para cada dólar investido, o retorno gira ao redor de 25 dólares.

ProXXIma 2018: Tecnologia, substantivo feminino

O painel de discussão no ProXXIma 2018 com moderação de Ana Cortat, sócia fundadora da Hybrid Colab trouxe as palestrantes Andrea Dietrich, Consultora em Estratégia Digital e Inovação na Didietrich e Fiamma Zarife, Diretora Geral do Twitter Brasil. Elas discutiram o papel da mulher no mundo da tecnologia, que cada vez mais assume protagonismo inédito em todo o mundo, mas ainda há muito a ser conquistado. O que já está pronto, o que ainda está por fazer e principalmente como agir para que a mulher tenha ainda mais destaque na Transformação Digital?

Painel com Ana Cortat, Andrea Dietric e Fiamma Zarife

Painel com Ana Cortat, Andrea Dietric e Fiamma Zarife

Fiamma dá o exemplo no Twitter. Para ela, pensamentos diferentes trazem insights valiosos. A rede permite vez e voz a milhões de pessoas todos os dias, então a diversidade é mandatória na empresa. Gênero também é uma questão muito importante.

Mas ela explica as diferenças entre diversidade e inclusão. A primeira implica em nos fazer diferentes. Já inclusão é o que que une. No Brasil, 30% da empresa é composta por mulheres. Todos têm direito a 20 semanas de licença quando se nasce um filho. Homens e mulheres hetero e homossexuais. Ela se gaba por poder fazer calls com pessoas no mundo todo em casa, com o bebê no colo.

Ela batalha por romper medos e preconceitos. Sem se sentir intimidada pelos compromissos pessoais e com filhos no ambiente de trabalho. E segundo ela, um ambiente rico só se faz com pensamentos diferentes. Existe um novo movimento para desmistificar ensinamentos e brincadeiras para as crianças. Hackear o próprio sistema para romper com pensamentos antigos e contribuir para esse novo lugar, de novas oportunidades.

A mulher tira a tecnologia do terreno engessado e a deixa mais leve e com novas possibilidades de diálogo. Quanto mais a tecnologia avança, mais humanos ficamos. Nos tornamos mais sensíveis, criativos, espirituais e abertos a mudanças de vida. Tecnologia não muda comportamento. O que muda é o que fizemos com ela. Tecnologia também é amoral: somos nós que determinamos o que fazer com ela.

_

Geolocalização somos todos nós identificados onde estivermos. Pode isso, Arnaldo?

Painel com Leo Xavier, André Ferraz, André Loureiro

Painel com Leo Xavier, André Ferraz, André Loureiro

No debate no ProXXIma 2018, três grandes nomes da área trouxeram sua visão sobre trabalho e novidades.

Leo Xavier, CEO, Pontomobi Linked by Isobar, trouxe que, para o Facebook, 91% da receita vem de mobile. Sendo assim, qual é o planejamento das agências e o real investimento delas nisso? A grande mensagem é saber usar o celular como meio essencial de informação. Este ano mobile ficará com 29% da publicidade global, atrás apenas da televisão, que terá 31,4% das verbas.

André Ferraz, CEO da In Loco ressaltou que privacidade é o tema do ano. Localização pode ser um grande ganho ou uma grande perda. Depende de como se usa. A empresa não vincula a localização com informações pessoais, como identidade. Dados gerados de casa e trabalho identificam as pessoas suficientemente, fazendo da privacidade um dos maiores valores da empresa.

André Loureiro, Líder Regional Latam, Waze, enfatizou que saber entregar valor para usuários e marcas através de serviços de localização, sem invadir a privacidade, é a preocupação da empresa. Conhecer profundamente o consumidor para gerar dados que falem com o comportamento dele. O próximo passo é sair de proximidade e entender onde os usuários visitam os locais fisicamente para adequar a abordagem.

Blockchain e a transformação digital na mídia

Guga Stocco, SEO na MoneyEx
Ele lembrou no ProXXIma 2018 que a rede mudou de apenas espaço de informação para a internet de valor. Segundo ele, os rendimentos em blockchain duplicaram do ano passado pra cá.

Guga Stocco no ProXXIma

Palestrante Guga Stocco no ProXXIma 2018

Gabriel Borges
CSO da AMPFY
O palestrante explicou que a área abriu caminho para novos termos. No SXSW teve mais de 50 painéis sobre o assunto. Estamos vivendo a corrida do ouro do Blockchain, o que permite às marcas desintermediação, transparência e antifraude. Governança, colaboração e eficiência são ainda temas complexos para lidar com o tema.

Felipe Sant’Ana
Cofundador da Paratti
A Paratti é uma plataforma de exibição de vídeos com 0% de taxas sobre os vídeos. Ela é uma fundação sem fins lucrativos que envolve um token. O palestrante exibiu um trailer de uma série que a produtora está realizando sobre bitcoins.

A Vivo, apresentou seu novo produto com exclusividade, o Vivo Ads, que permite um alcance de 75 milhões de pessoas, o que prova a discussão da palestra “Produção: mas é on ou é off?”: mobile é sim mídia de massa. Afinal, já existem mais celulares do que pessoas no Brasil, por exemplo. É preciso estar sempre atualizado e utilizar formatos relevantes para atrair anunciantes e consumidores, citou Lucas Amadeu, Gerente Geral da Vivo Ads.

O primeiro dia do ProXXIma 2018, que falou muito de transformação digital, inclusão e novos comportamentos dos consumidores, trouxe a cantora Iza para finalizar a tarde de palestras. Mas a fala da cantora foi através de sua música, recheada de mensagens de empoderamento feminino, inclusão social e força política. Tudo a ver com o momento que estamos vivendo.

Gostou da notícia?

campo obrigátório

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá o melhor da tecnologia no seu email