NASA aprimora tecnologia para tornar Marte habitável

Nasa apresenta e estuda novas tecnologias para fazer de Marte um local mais habitável

01/06/2018 às 10:00

Um foguete Atlas decolou da Califórnia em maio para Marte, a 55 milhões de quilômetros da Terra, para a missão InSight. O foguete leva a sonda InSight Lander e dois pequenos veículos, em formato cúbico, chamados de MarCO (Mars Cube One). A sonda e os veículos pousarão na Planície Elysium, no planeta vermelho, no final de novembro. Pelo ineditismo, será um show de tecnologia da NASA (Agência Espacial Norte-Americana). Mas a missão seguinte, em 2020, ainda será mais impressionante: ela terá um helicóptero para voar em Marte.

Mais fracassos que sucessos

O homem se aproxima cada vez mais da possibilidade de colonizar Marte. Há tempos queremos fazer do planeta nosso segundo lar. E a cada nova expedição da NASA, com propósitos de exploração científica, mais a tecnologia avança. Mas não pense que tudo é fácil e garantido: até agora, apenas 23 das 54 missões a Marte tiveram sucesso.  A viagem é complexa, o pouso muito difícil.

Mas os sucessos, como os dos jipes Curiosity e Oportunity fazem tudo valer a pena. O Curiosity segue trabalhando desde 2012 em Marte. E inclusive voltou a fazer furos exploratórios na superfície, o que não acontecia desde dezembro de 2016. O jipe Opportunity também continua na ativa.

Curiosity está em Marte desde 2012

Aprender sobre o interior de Marte

A sonda InSight Lander, por exemplo, é algo completamente novo. Ela tem ferramentas especiais para perfurar o solo e estudar a crosta, o manto e o núcleo do planeta. A NASA acredita que, com a missão atual, aprenderá bastante sobre a formação de Marte, há 4,5 bilhões de anos. Até agora sabemos alguma coisa sobre a superfície de Marte, mas nada sobre seu interior.

Veja um vídeo da NASA sobre a InSight Lander e o que ela pesquisará em Marte:

Maletas voadoras da Nasa

Em missão completamente independente da sonda, os veículos MarCO são prodígios de criatividade e engenharia. Parecem cubos voadores do tamanho de maletas executivas e irão testar processos de comunicação no espaço. Se funcionarem, esses satélites minúsculos vão transmitir para a Terra dados da entrada da sonda InSight na atmosfera marciana.

Assista um vídeo sobre seu funcionamento:

E se você quiser saber mais sobre a missão InSight, a  NASA oferece todas as informações e disponibiliza até um relógio com contagem regressiva para o pouso.

Helicóptero para ar rarefeito

Já o helicóptero marciano decolará para Marte em julho de 2020. Helicópteros, idealizados por Leonardo da Vinci por volta de 1500 e tornados realidade por Igor Sikorsky, em 1939, precisam de atmosfera para voar. Aqui na Terra eles não podem passar dos 6 mil metros, porque o ar fica muito rarefeito. E a maior parte deles nem chega perto dessa altitude.

Um helicóptero sobrevoará Marte em breve

Então, como voar em Marte, com atmosfera com um centésimo da densidade da nossa? É um tremendo desafio para a tecnologia. Voar em Marte com helicóptero seria o mesmo que voar com um deles na Terra acima de 35 mil metros. Impossível? Não. Se aqui as pás do rotor giram a 300 rotações por minuto, o helicóptero marciano terá dois conjuntos de pás que girarão a 3.000 rpm. Proporcionalmente muito grandes, as pás girarão em sentidos opostos para aumentar a sustentação no ar muito rarefeito.

Completamente autônomo

Mais: o helicóptero será minúsculo, do tamanho de uma bola de tênis. Vai pesar muito pouco, cerca de 1,5 quilo. E será completamente autônomo. Como sinais de rádio demoram vários minutos para percorrer a distância entre Terra e Marte, a NASA enviará um comando para que o veículo voe. E, daí em diante, o helicóptero fará tudo sozinho, mandando para a Terra os vídeos captados. Graças a ele, pela primeira vez deveremos ter vídeos aéreos de Marte – como os feitos por drones aqui.

Alimentado por baterias de lítio-íon, o helicóptero trabalhará por cerca de 30 dias. As baterias serão carregadas pelo Sol e o helicóptero terá um sistema que impedirá seu congelamento nas frias noites marcianas. Inicialmente ele fará voos curtos de teste, de 90 segundos e algumas centenas de metros. Se tudo funcionar bem, o helicóptero poderá visitar vales, montanhas e cavernas, abrindo uma nova era na exploração de Marte.

Veja este ótimo vídeo da NASA mostrando as habilidades do helicóptero marciano:

 

O novo jipe marciano

Essa joia da tecnologia será a grande estrela da missão a Marte de 2020? É possível. Mas o helicóptero, por melhor que seja, terá forte concorrência por notícias na mídia e pela apreciação dos humanos. É que na mesma missão vai ao planeta vermelho o Mars Rover 2020, a última versão de um jipe marciano. Ele é nada menos que o veículo mais caro já construído, com um custo de US$ 2,5 bilhões, algo ao redor de R$ 9,5 bilhões.

O novo jipe marciano é maior, mais complexo e possivelmente melhor que o Curiosity. Fará pesquisas geológicas, análise das condições de habitabilidade para seres humanos, identificação de possíveis perigos para futuros astronautas em Marte. Também vai coletar amostras de solo e rochas, guardá-las em tubos selados e deixá-las prontas para que uma eventual futura missão as traga até a Terra. O jipe irá a Marte com nada menos que 23 câmeras.

Um guindaste espacial

O sistema de pouso do jipe em Marte – carregando o helicóptero – será inédito. Uma espécie de guindaste espacial, movido por propulsão a jato, deverá depositar a carga em solo marciano.

A NASA está bastante confiante no sucesso do pouso da missão InSight, em novembro. E também no pouso da missão 2020, porque as tecnologias são similares às usadas com o jipe Curiosity.

Veja um vídeo da NASA sobre a missão Mars Rover 2020:

Miniaturização no espaço

Da mesma forma, a NASA confia que o Mars Rover 202 deverá funcionar bem. Afinal, ele é uma evolução natural dos jipes anteriores que exploraram e exploram Marte. A grande dúvida é mesmo o helicóptero, porque ele é uma tecnologia completamente nova. E o primeiro grande exemplo da miniaturização da exploração espacial graças à tecnologia. No futuro, milhares de minúsculos helicópteros sobrevoarão Marte, mapeando o planeta e identificando os melhores lugares para a colonização por humanos.

Satisfeito com este artigo? E que tal saber mais sobre a NASA? Já escrevemos sobre seu projeto de comunicação via laser. Boa leitura!

Gostou da notícia?

Veja mais sobre
Tecnologia
campo obrigátório

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá o melhor da tecnologia no seu email