Gigloop: startup brasileira é referência no mercado musical

Plataforma usa tecnologia da informação para romper formato de bookings em turnês por todo o mundo.

02/02/2018 às 14:14

A brasileira Gigloop foi a primeira startup no segmento musical – especifica em contratação de artista – selecionada pelo French Tech Ticket, programa do governo francês. E depois de passar um ano na incubadora Schoolab, em Paris, a empresa enxerga um futuro muito promissor.

Entre tantos projetos inscritos no French Tech Ticket, fica fácil entender como os brasileiros Felipe Callado e Fabio Gelbke conquistaram um investimento de 57 mil euros para investir no Gigloop. Acontece que a proposta nacional rompe com um formato de booking de artistas de música que existe há mais de décadas.

Até então, para fazer uma contratação de artista – tanto no Brasil como em qualquer lugar no mundo -, o interessado precisava ligar para uma agência, verificar quem estava em turnê, preencher um formulário, esperar um retorno. Processo este bastante longo, burocrático e cansativo. Muitas vezes, até ineficiente. Além disso, o contratante ainda tinha complicações de pagamento, principalmente em trâmites internacionais.

Por trabalhar com música e passar por todas essas dificuldades ao realizar seus eventos, Felipe Callado notou aí uma possibilidade de negócio. A ideia ganhou ainda mais força, ao concluir que não existia nenhuma empresa no setor musical seguindo o que os empreendedores chamam de “solução século XXI”.

A “solução século XXI” nada mais é do que a estratégia de empresas como Uber, AirBnb e Trivago. Ou seja, um conjunto de soluções inovadoras através da tecnologia de informação.

Resumindo, são plataformas em você resolve o seu problema de uma vez só, em um só lugar. O Gigloop, então, simplifica a contratação de artista de música, pois para verificar as turnês disponíveis e fazer uma contratação, basta acessar o gigloop.com.

Agora para você visualizar um pouco melhor como o Gigloop é um grande facilitador, vale prestar atenção em três pilares que sustentam a ideia do negócio. Banco de dados, contração e pagamento.

1. O banco de dados

Um dos grandes problemas para contratar um artista: ter rápido acesso as informações sobre ele. Tanto sobre perfil musical quanto a respeito das datas disponíveis para booking. No Gigloop, tudo isso está disponível. A organização do banco de dados da plataforma é impecável. Você encontra release do artista, músicas, fotos, além claro de saber quando ele vai estar no Brasil, em que clubs já tem data fechada na sua região. E tudo isso, em questão de minutos.

O Gigloop soluciona o problema do processo longo e burocrático necessário via agência. Fazer contato com a agência, preencher formulários, aguardar retornos. Horas e até dias de espera. Muitas vezes, para depois retornar com um “o artista não vai estar aqui nessa data”. Não mais!

2. Contratação de artista

Através do Gigloop, você contrata um artista sem precisar sair de casa para assinar um contrato. Não há necessidade de imprimir um monte de documentação. Tudo se resolve através da plataforma. Como você vai ter um usuário e senha, e deverá estar logado para contratar, a assinatura é online.

3. Pagamento

A cereja do bolo do Gigloop: a forma de pagar. Como a startup é binacional, consegue solucionar um dos maiores problemas da contratação de artista internacional, o pagamento em moeda estrangeira. Através do Ebanx, outra inovadora startup brasileira que também é usada pelas gigantes Ali Express, Spotify e AirBnb. O Ebanx permite que você pague a transação feita em outra moeda, já em reais, por cartão, boleto ou transferência bancária. Exatamente como se estivesse comprando em uma loja brasileira.

Resumindo, você deposita reais e o contratante recebe em euro ou dólar. Isso resolve problemas de cotação e, acima de tudo, garante que o preço do artista não seja inflacionado por nenhum intermediário. O valor do booking é o mesmo em qualquer lugar do mundo.

Quem entende um pouco do mercado musical, sabe o quanto isso torna justo o valor da contratação. Por exemplo, você vai bookar um artista francês. Se um intermediário negociar com a agência da França, ele vai colocar uma porcentagem em cima do cachê para ganhar uma comissão. Quando você usa o Gigloop, o negócio é feito diretamente com a agência francesa. Ou seja, o preço final será o mesmo para todo e qualquer contratante.

O futuro do Gigloop

Através do Frech Tech Ticket, a Gigloop ganhou corpo. Durante um ano, a startup brasileira recebeu diretrizes da incubadora Schoolab, e assim, conseguiu mergulhar fundo no projeto.

“Só o fato de estarmos em contato com empreendedores do mundo inteiro, super capacitados, nos proporcionou uma experiência é incrível. Além de tudo a mentoria nos ajudou a perceber os erros que cometemos, para enxergarmos novos caminhos e soluções”, relembra Felipe Callado.

O empresário ainda exemplifica o quanto é importante manter foco e saber lidar com as dificuldades. “A verdade é a seguinte: startup é muita tentativa de erro e acerto. Traçamos um caminho pelo qual queremos seguir, mas imaginamos que vai ser reto, e acabamos batendo a cabeça muitas vezes antes de atingir o objetivo”.

Agora, a meta da Gigloop é continuar crescendo. Atualmente, a startup ainda opera apenas com artistas e tour de música eletrônica, mas a ideia é atingir o setor como um todo. “Queremos fazer com que a nossa plataforma ganhe um corpo cada vez maior. Fazer com que sejamos realmente a melhor plataforma para artista, agência e contratante usar no mercado”, afirma Callado.

Conheça outras ideias inovadoras aqui no Vivo Tech. Inspire-se e tome coragem para colocar a seu projeto em prática!

Gostou da notícia?

campo obrigátório

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá o melhor da tecnologia no seu email