Firefox vai abandonar o Flash: o que isso significa?

Firefox tomou a decisão antecipando-se ao final da produção e distribuição do Flash, que é propriedade da Adobe.

29/05/2019 às 9:00

A Fundação Mozilla, que produz o navegador Firefox, anunciou que não mais dará suporte ao plugin Flash, desenvolvido pela Adobe. Em síntese, o movimento não chega a ser surpreendente. Aliás, é uma tendência em praticamente todos os navegadores. Até porque faz alguns anos que a Adobe anunciou que iria parar com a produção e distribuição do Flash.

Entenda porque o Firefox vai abandonar o Flash.
Firefox segue a tendência dos demais navegadores.

Mudança no Firefox em setembro

Todavia, como tudo nessa área, será um processo lento. O anúncio foi feito no início de 2019, mas o final do suporte ao Flash no navegador Firefox acontecerá somente em setembro. É quando deve acontecer o lançamento da versão 69 do Firefox.

Todo esse prazo é importante porque é possível (embora pouco provável) que alguns usuários do Firefox ainda visitem sites que usam o Flash. A Adobe adiou ao máximo a morte do Flash, contudo definiu que será no fim de 2020.

Saiba o que significa o fim do suporte ao plugin Flash por parte do Firefox.
Firefox anuncia que, a partir de setembro, o Flash será desabilitado em sua plataforma.

Mas afinal, o que é o Flash? Trata-se de um aplicativo para computadores e dispositivos móveis bem antigo, lançado em 1996. Certamente, na época, ele era revolucionário e importantíssimo, permitindo animações em 2D nos sites da internet.

Depois ele foi aprimorado e passou a fazer até streaming de vídeo. A empresa que o criou, chamada Macromedia, vendeu o produto para a mais poderosa Adobe.

Entenda porque o Firefox vai abandonar o Flash.
O comunicado do fim do Flash feito pela Adobe

Poucos sites ainda usam o Flash

E sua história, que ganha mais um episódio com a decisão do Firefox, é normal no cotidiano digital. Até porque surgiram produtos mais modernos, melhores e mais rápidos. Assim, o Flash foi caindo lentamente em desuso.

No final de 2018, apenas 4,9% dos sites ainda exigiam que você tivesse o Flash instalado em seu computador para rodar algumas animações. Eventualmente são sites antigos ou que até foram abandonados. Para você ter uma ideia, esse mesmo percentual era de 28,5%, em 2011, e já havia caído para 12,1%, em 2015.

Afinal, tanto o Firefox quanto o Chrome e outros navegadores abrem sites com animações e streaming que migraram para outras tecnologias. A principal tecnologia que substituiu o Flash é o HTML5, usado por muitos programadores. O JavaScript também é importante, bem como a tecnologia CSS3.

Pedidos de atualização já não existem

Aliás, você lembra do tempo em que a Adobe pedia atualizações do Flash? Bem, isso já não acontece mais. Entretanto, os pedidos de atualização do Java são frequentes. Por isso, aceite, faça sempre essas atualizações para que os navegadores como o Firefox abram todos os sites sem problemas.

Entenda  porque Firefox vai abandonar o Flash.
Instalação do Flash? Ninguém mais faz isso.

Como o Firefox, o Chrome também está reduzindo seu suporte ao Flash. E ainda revelou um dado interessante: em 2014, 80% dos usuários da web abriam ao menos uma página com Flash por dia. Entretanto, no início de 2018, esse percentual caiu para 8%.

Dessa forma e nesse ritmo, o número de sites com Flash deverá ser bem pequeno no final de 2020.

Apple foi a primeira a abandonar o Flash

E o que fazer com esses sites se a gente visitar um deles depois do fim do suporte? O navegador, Firefox ou outro, vai perguntar se você quer ativar o plugin manualmente. Se você confirmar, a página vai abrir. Mas a situação deverá ser extremamente rara.

Em 2005, quando a Adobe comprou o Flash da Macromedia, o plugin estava instalado em mais de 98% dos computadores pessoais. Contudo, de lá para cá sua popularidade só diminuiu. O anúncio feito pela Firefox foi antecipado pela Apple, que não usa mais o Flash nos iPhones. E o Google, aliás, desde 2016 trabalha reduz essa tecnologia no Chrome.

Os iPhones não usam o plugin Flash.
Os iPhones não usam o plugin Flash.

O sistema, então queridinho do mercado, passou a ser considerado ultrapassado. E, principalmente, mais vulnerável a ataques virtuais que seus concorrentes. Dessa maneira, se você já tinha até esquecido da existência do velho Flash, isso é bem normal. Afinal, a gente usa o HTML5 e nem nota.

Então por que a Adobe demorou tanto para dar um funeral ao Flash? De acordo com a empresa, há um motivo: eles garantem que vários sites e até empresas inteiras ainda usam o plugin. E que, em resumo, não seria correto abandonar esses clientes sem um bom período de transição. De acordo com a Adobe, as oportunidades para a empresa no futuro são maiores em um mundo sem o Flash.

E a decisão do Firefox apenas acelera o processo de chegada a esse mundo que esqueceu o Flash.

Aliás, você quer saber mais sobre navegadores, além do Firefox? Então conheça o navegador da Xiaomi. E ainda o excelente Opera Touch. Tudo aqui no Vivo Guru Blog.

Gostou da notícia?

Veja mais sobre
internetUtilidades
campo obrigátório

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá o melhor da tecnologia no seu email