Bullying: Instagram usará Inteligência Artificial contra o problema

Rede social lançará funcionalidades contra o bullying, mas também existem outras formas de se defender dos agressores.

26/08/2019 às 9:00

O bullying é um problema sério. Muitos jovens são atingidos, principalmente no período escolar e que recebeu impulso com as redes sociais. É por isso que o Instagram está se mobilizando para minimizar o mal em sua plataforma. Com o uso de Inteligência Artificial (IA), a rede social vai identificar conteúdos ofensivos e pedir ao usuário que repense se realmente quer postar aquilo.

As funcionalidades deverão ser lançadas em breve nos países de língua inglesa (e depois para o restante dos idiomas). Semelhantemente, não deve demorar muito para que essas ferramentas estejam à disposição dos brasileiros. O Instagram será pioneiro pois as outras redes sociais, como Facebook, Twitter e WhatsApp, ainda não possuem ferramentas específicas contra o bullying.

Instagram cria ferramentas para combater o bullying.
Instagram cria ferramentas para combater o bullying.

Mas vamos começar entendendo o significado da palavra tão usada hoje em dia. O termo vem do inglês bully (brigão) e dá nome à prática de atos violentos, intencionais e repetitivos contra outra pessoa, normalmente indefesa. A agressão pode ser física ou moral. Nesse último caso se enquadra o bullying virtual. De todo modo, os danos emocionais são profundos, e danosos.

IA na luta contra o bullying

No caso do Instagram, quando a nova funcionalidade estiver funcionando, ocorrerá assim: se alguém teclar “Você é horrível de tão feio e ainda por cima muito burro”, a IA do aplicativo vai intervir antes da postagem. E perguntar ao autor: “Tem certeza que quer publicar isto? Entenda”. Então, se o usuário clicar em “Entenda”, surgirá a seguinte informação: “Estamos pedindo para os usuários repensaram comentários parecidos, que foram notificados como inapropriados”.

Não é garantido, evidentemente, que o potencial autor de bullying vá mudar de ideia por causa da intervenção do Instagram. Ele poderá simplesmente ignorar o aviso e postar sua ofensa. No entanto, testes mostraram que boa parte dos usuários advertidos reconsiderou e modificou suas postagens, passando a utilizar termos menos ofensivos.

Com o uso de inteligência artificial, Instagram identificará conteúdos ofensivos e pedir ao usuário que repense sua postagem
Instagram será a rede social pioneira no lançamento de ferramentas contra o bullying.

O Instagram também notou, entre usuários jovens, forte resistência a bloquear autores de bullying ou denunciar agressores. Isso acontece porque as vítimas têm medo de deixar a situação ainda pior, o que pode ocorrer se existe convivência na vida real. Por esse motivo, a plataforma lançará também uma ferramenta chamada “Restringir”, para ser usada nestes tipos de casos.

Veja como funciona: se uma pessoa restrita comentar uma postagem sua, só você verá esse comentário, não todo o público. Os “restritos” também não ficam sabendo se seu alvo (você) está ativo e nem se leu suas mensagens.

Tudo começa com a educação

Em princípio, como combater o bullying presencial ou virtual? A maneira mais eficiente vem da educação, que começa em casa e segue pela escola. É necessário conscientizar sobre o respeito a terceiros, o entendimento das diferenças, a necessidade de tratar todos da mesma maneira.

Entretanto, as redes sociais estão povoadas de gente que desconsidera essas questões e se dedica ferozmente ao bullying. Primordialmente, como tentar neutralizá-las? Em resumo, ao menor sinal de agressão em qualquer rede social, simplesmente retire o agressor de sua lista de contatos. E, em seguida, informe seus amigos sobre o banimento e suas causas, para que todos possam igualmente se proteger.

SaferNet auxilia vítimas no Brasil

Ao mesmo tempo, é importante saber que existem outros mecanismos de ajuda. No Brasil, 7 de abril é o Dia Nacional de Combate ao Bullying e à Violência na Escola. E existe, em pleno funcionamento, uma ONG que trabalha bastante nesse campo. É a SaferNet, voltada para a promoção e defesa dos direitos humanos na internet no país. Veja este vídeo deles:

A ONG atua na orientação de crianças, adolescentes, jovens, pais e educadores, com foco no uso responsável e seguro da internet. Além disso, criou e coordena a Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos e tem, em parceria com a Unicef, a campanha “Acabar com o bullying #ÉDaMinhaConta”.

Vale a pena visitar a página da SaferNet, com excelentes conteúdos sobre crimes na web, privacidade e liberdade de expressão. Aproveite e confira outro vídeo útil sobre um canal de ajuda para vítimas de bullying:

Um link muito importante para vítimas de bullying é o da HelpLine Brasil, braço nacional de uma organização que atua em 133 países, e que acaba direcionando para o canal de ajuda da SaferNet.

 Página inicial do canal de ajuda para vítimas de bullying.
Página inicial do canal de ajuda para vítimas de bullying.

Dicas sobre como agir

Similarmente, a organização norte-americana Ditch Label tem uma série de dicas bem legais para as vítimas de cyberbullying – o bullying feito pela internet. Confira as sugestões:

Em primeiro lugar, nunca responda. Depois, faça um screenshot e guarde essas capturas de tela. Em seguida, bloqueie o agressor. Depois, fale sobre o bullying com alguém de sua confiança, não guarde o sofrimento só para si. Próximo ponto: denuncie o agressor. Além disso, cuide de sua privacidade nas redes sociais e não fale com desconhecidos.

Por fim, as duas últimas sugestões exigem bastante da vítima. O ideal é conseguir falar com o agressor, o que pode ser feito com mediador, como um professor. E, logo após, ter a coragem de oferecer ajuda ao agressor. Isso porque quem pratica bullying inegavelmente tem problemas sérios.

Então, gostou desse conteúdo? Saiba que já escrevemos anteriormente sobre como se proteger de assédio na internet. Até a próxima!

Gostou da notícia?

Veja mais sobre
internetRedes Sociais
campo obrigátório

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá o melhor da tecnologia no seu email