eSports: saiba mais sobre essa “mania” e como acompanhar?

Com jogadores profissionais que movimentam fortunas, os esportes eletrônicos já marcaram presença até nas Olimpíadas de Inverno 2018.

14/03/2018 às 10:07

O Manchester City, líder absoluto da Premier League (campeonato inglês de futebol), contratou mais um craque. Trata-se do alemão Kai “deto” Wollin, de 29 anos, mas Deto não vai entrar em campo. Não exatamente. Na verdade, ele faz parte da equipe de eSport do time inglês, que detém o título de bicampeã mundial, jogando em PlayStation 4. Aliás, o Manchester City ainda contratou Markus Jorgensen, que também disputa o FIFA 18, mas com Xbox One.

Mas afinal, o que são eSports? Também chamados de esportes eletrônicos ou ciberesportes, são partidas de games que acontecem em tempo real na internet ou em LAN (Local Area Network). LANs são um conjunto de computadores que pertence a uma mesma organização, conectados entre eles por uma rede, numa pequena área geográfica. Lembra das LAN Houses? Portanto, daí que surgiu o termo.

Agora, voltando aos eSports, as disputas têm jogadores profissionais, que assumem a identidade dos jogadores no caso de partidas de FIFA, por exemplo. Ou que são especialistas em outros jogos. Aliás, esses gamers profissionais lucram muito com essa “brincadeira” toda!

Jogos virtuais e muito dinheiro real

Todas as principais equipes de eSports são profissionais e recebem suporte financeiro de patrocinadores. Portanto, os jogadores são contratados, recebem salários e porcentagens em prêmios. Como em qualquer esporte, só os mais talentosos e os que mais treinam chegam ao sucesso e podem ganhar dinheiro – muito dinheiro.

Os números provam que o eSports, de fato, não é só diversão, mas um oportuno negócio. Em 2017, foram movimentados US$ 700 milhões (algo em torno de R$ 2,3 bilhões).

Campeões de faturamento

Quando o assunto é grana, o Dota 2 assume a dianteira. Em 2017, foram US$ 31 milhões (R$ 94 milhões) em prêmios. O LOL (League of Legends) também trabalha com muitas cifras. Em suma, no campeonato mundial do ano passado, só o prêmio principal foi de US$ 1 milhão (cerca de R$ 3,2 milhões). Agora, pensa no montante que gira em torno desse evento?

The International, mundial de Dota 2 – Imagem: eSports Insider

Torneios regionais e mundiais

Aliás, o primeiro campeonato aconteceu em 1980, com o jogo Space Invaders. Já em 2011, quando a empresa californiana Riot começou a pagar os jogadores, a coisa ficou séria de verdade.

Desde então, o LOL, criado pela própria Riot, começou a ser jogado profissionalmente, e a render. A Riot, inclusive, é quem organiza o League of Legends World Championship. Existem também vários torneios regionais, como o coreano LCK (League of Legends Champions Korea).

Foto do campeonato de eSports League of Legends World Championship

League of Legends World Championship – Imagem: Riot Games

O CS:GO (Counter-Strike: Global Offensive) tem torneios importantes ao longo de todo, entre eles duas edições do Major, considerado o campeonato mundial, que são organizados pela Valve, criadora do jogo. No caso do Dota 2, destaca-se o The International, aquele que teve cerca de R$ 100 milhões em prêmios no ano passado.

Então, tratando-se de FIFA, rola a eWorld Cup, copa do mundo de futebol em game, que este ano, acontece de 18 a 29 de abril. Haverá até uma etapa em São Paulo, na Arena Webedia.

Assista aos jogos!

Sim, você pode assistir às partidas dos campeonatos de eSports. Aqui no Brasil, os canais SporTV, ESPN e Esporte Interativo tem vários horários em suas grades de programação destinados às principais competições.

Tem também opções para acompanhar na web. No YouTube Gaming, plataforma exclusiva para gamers, rola transmissão.

Existe ainda um canal online com foco total em eSports. A chamada Twitch TV é a plataforma de transmissão da Amazon conhecida por exibir as grandes disputas. E só para reforçar os números de sucesso dos esportes eletrônicos: a Twitch somou 292 bilhões de minutos de visualização, em 2016.

Por outro lado, a ESL, empresa que realiza diversos campeonatos, começa a migrar para o Facebook. Este ano, o ESL Pro League já deixou o Twitch e foi para o rede social de Mark Zuckerberg. No fim das contas, o importante mesmo é que você pode assistir como preferir!

eSports nas Olimpíadas?

As Olimpíadas de Inverno deste ano, na Coreia do Sul, foi a primeira a receber os eSports, graças à aprovação do Comitê Olímpico Internacional no final de 2017, que reconheceu os esportes eletrônicos como uma modalidade. A Intel, que patrocinou os jogos, foi a responsável pelo Intel Extreme Masters PyeongChang, na cidade de Gangneung.

Infelizmente, a novidade não chamou muito atenção do público por lá, e divide opiniões. O esquiador Ted Ligety, duas vezes  medalha de ouro, disse que “são dois mundos totalmente diferentes. Os esportes físicos pertencem às Olimpíadas e não acho que os eSports pertençam”. Já Ilyes “Stephano” Satouri, jogador de StarCraft, afirmou que “se os atletas tivessem a noção real de como competimos, treinamos e nos esforçamos, acho que poderiam respeitar nossa dedicação”.

Foto da Scarlett, vencedora de eSports nas Olimpíadas de Inverno 2018

O crescimento do eSport é tanto que já é cogitado nos jogos Olímpicos. Imagem: Helena Kristiansson

A vencedora do O IEM PyeongChang foi a canadense Sasha “Scarlett” Hostyn (foto), medalhista de ouro em StarCraft II. Enquanto, o COI ainda não se manifestou sobre a inclusão do eSports na Olimpíada de 2020. Mas a Intel planeja eventos para os jogos no Japão. É aguardar por mais informações!

Os games mais populares de eSports

Quer conhecer um pouco mais sobre os jogos que movimentam muito esse universo de competições online? Então dá só uma olhada nesta lista de trailers!

League of Legends

Também conhecido por LOL, é o precursor dessa história toda.

FIFA

Conhecido exatamente por ser o game de futebol que reproduz as competições mais disputadas da realidade.

Counter-Strike: Global Offensive

Quando a pergunta envolve dica de “jogo de tiro”, a resposta certa é Counter-Strike: Global Offensive, ou CS:GO.

PlayersUnknown Battleground

E que tal uma espécie de Jogos Vorazes para 100 jogadores? O PlayersUnknown Battleground tem essa pegada.

Clash Royale

Tem ainda o Clash Royale, um jogo de cartas e estratégia, apenas para celulares.

Dota 2

Por fim, mas como você já sabe (leia-se R$ 96 milhões em prêmios), nem pouco menos importante, o Dota 2, game que mistura fantasia e estratégia.

Gostou desse conteúdo? Então continue navegando no Vivo Tech para conferir mais informações do universo gamer. Ah, aproveita e compartilha tudo com amigos que também adoram um “joguinho”.

Gostou da notícia?

Veja mais sobre
eSportsGames
campo obrigátório

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá o melhor da tecnologia no seu email