Como começar um negócio com seu amigo

Você já deve ter ouvido mil vezes que isso não é uma boa ideia e que pode acabar com a amizade rapidinho. A gente te convida a pensar de novo sobre o assunto.

26/09/2017 às 15:53

Com certeza ninguém seguirá o mesmo depois dessa experiência. Afinal, a união acontece com o objetivo da transformação da vida de ambos – ou até de mais pessoas, caso a sociedade aumente. O que queremos é que seja para o bem de todos. Por isso, adaptamos essa lista do Mashable para você se inspirar.

Comece pequeno

Um pequeno projeto em conjunto pode ser a porta de entrada para descobrir o estilo de trabalho do amigo e ver se consegue trabalhar sob pressão. Existem boas oportunidades, como um projeto de hackathon ou um projeto de uma semana. Se depois disso houver muitas divergências, pode saber que não vai rolar a parceria mesmo.

Descubra se vai ser flop com as pistas a seguir:

  1. Existe falta de comunicação entre vocês- talvez porque você é uma pessoa matutina e seu parceiro uma pessoa noturna. 
  2. Ele desmorona sob pressão. Por exemplo, não sabe como priorizar um prazo específico. 
  3. Seu futuro sócio não tem responsabilidade e não consegue acompanhar um projeto. 
  4. Pode ser também que ele não esteja comprometido, ou seja, não está tão a fim quanto você.

Sejam claros um com o outro

Vocês podem facilmente ter um grande problema caso não esteja definido o que cada um será responsável dentro da empresa. Se você tem um objetivo e seu sócio tem outro, juntos vocês têm um problema. Só comecem algo se compartilharem os mesmos ideais.

E aí temos mais dicas de especialistas para você calcular os riscos.

  1. Fale desde o início sobre como você abordaria algum conflito quando surgir. Vocês dois estão abertos a ouvir críticas? 
  2. Tenha uma conversa sobre o que você faria se não concordasse (e não há nenhum terceiro membro da equipe fundadora). Qual o ponto de vista que prevaleceria? 
  3. Certifique-se de criar tempo para solicitar feedback construtivo e não leve isso para o lado pessoal (por exemplo, há algo que você está fazendo que está irritando seu amigo, ou vice-versa?)

O conforto

Antes de mais nada, vamos ter certeza de que dois pontos estão bem solidificados na amizade de vocês:

  1. Existe uma confiança e um respeito entre os dois. Nenhum argumento pode ser resolvido se isso não estiver no lugar. 
  2. Você está bem consigo mesmo. Esteja ciente da situação para que saiba se você precisa se afastar ou recuar e se unir mais tarde.

O único princípio que controla tudo: “Não tem como voltar atrás”. Cuide o que fala e como fala e seja transparente com todas as preocupações que têm em comum. No início, é normal discutir, mas nunca tome pelo lado pessoal. É natural, supere. E o processo de superação é perceber que o progresso da empresa importa mais do que suas disputas pessoais. Algumas dicas de como agir:

  1. A pior coisa que você pode ser é passivo-agressivo, porque pode se arrastar por semanas, se não meses – e ter efeitos a longo prazo. 
  2. Faça o seu melhor para manter suas emoções fora de tudo e use o que tem para provar seus pontos. É assim que se convence. Não é opinião pessoal, mas estatísticas e fatos. 
  3. Se você pode transformar sua frustração em algo produtivo, que seja em ideias de produtos ou em uma sugestão alternativa. Concentre-se na tarefa em mãos e deixe o objetivo final claro. 
  4. Se houver um desacordo entre os cofundadores sobre como avançar em um projeto específico, a decisão final deve levar em consideração a opinião da pessoa com maior experiência nessa área.

E as vantagens?

Além de todas as advertências que as pessoas mencionam sobre começar um negócio com algum amigo, tem mais coisas a se observar. E elas não são sempre preocupantes, ou ruins. Tem muitas coisas boas:

  1. As grandes decisões podem ser analisadas a partir de diferentes perspectivas – seja você pessimista ou otimista, realista ou sonhador. Analisar todas as perspectivas pode ajudar a chegar na melhor solução para avançar seu negócio. 
  2. Cada um tem o seu papel e sua equipe de especialistas, para realizar tarefas específicas. Dependendo do alcance do problema, quando ocorrem incêndios, ele vai parar na melhor pessoa e equipe para lidar com isso.
  3. E a vantagem mais importante? Você nunca está sozinho. Você tem alguém para afastar e falar quando começa a ficar pesado. Você tem alguém para falar sobre suas frustrações e suas preocupações.

Fonte: Mashable

Gostou da notícia?

Veja mais sobre
FinançasNegócios
campo obrigátório

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá o melhor da tecnologia no seu email