Bloqueador de propagandas melhora a navegação? Entenda o chamado adblock!

Assunto ganha ainda mais visibilidade após o lançamento da nova versão do Chrome.

09/03/2018 às 11:03

Você gostaria de menos publicidade nas páginas por onde navega? Sites mais amigáveis, somente com anúncios éticos? Isso é possível. A Google implantou bloqueador de propagandas em seu navegador, o Chrome. O adblock ataca anúncios pop up e os que cobrem a tela inteira, além de vídeos automáticos e com áudio. Tudo isso para tornar a sua navegação mais prazeirosa e valorizar os bons anunciantes.

Pesquisa apontou o que ninguém quer ver

O foco do bloqueador de propagandas são os anúncios mais indesejados, conforme pesquisa da Coalizão por Melhores Anúncios. A entidade foi criada em 2016, na Alemanha, por 16 grandes empresas e agências de publicidade e pelo próprio Google. A investigação apontou quais os formatos mais incômodos.

  • Anúncios pop up, abertos após um clique em link;
  • Vídeos reproduzidos automaticamente e com som;
  • Propagandas que cobrem toda a tela ou boa parte dela;
  • Anúncios que exigem tempo determinado antes de ser possível fechá-los;
  • Animações com cores fortes ou piscantes.

São bem chatos mesmo, concorda?

A Google também quer limitar em 30% o número de propaganda por página. Assim, os sites que exibirem mais do que essa proporção entre anúncios e conteúdo têm elementos bloqueados.

O Adblock do Chrome informa quando ocorre um bloqueio tanto em celulares quanto em desktop. E é você quem decide sobre quais e quantos anúncios quer ver.

Graduação positiva, média ou negativa?

A Google construiu um banco de dados sobre sites, que recebem graduação entre positiva, média ou negativa. Em positiva, tudo ok, óbvio! Os responsáveis por sites com avaliação média são alertados sobre anúncios irregulares, que podem ou não terem bloqueio. E os negativos entram diretamente na lista de rejeição.

As mudanças já estão em aplicação, em um período de testes para administradores de páginas. Desde 2017, eles são alertados sobre a questão. E a partir de fevereiro deste ano, os sites categorizados como intermediários ganharam 30 dias para realizar as mudanças previstas. Tudo está indo bem! Antes mesmo da aplicação das medidas, 42% dos irregulares adequaram os sites para que seus acessos sejam mais seguros e agradáveis.

A Google quer evitar que você precise instalar bloqueadores de propaganda por conta própria e, claro, melhorar sua experiência de navegação. Igualmente, protege a renda dos veículos e a própria, pois esse mercado corresponde a fortes áreas de atuação e faturamento da empresa. A Google acredita que as pessoas não odeiam todos os comerciais, mas aqueles que atrapalham a navegação, sim. Ganham os bons anunciantes, os sites mais éticos e, principalmente, você!

Bloqueios em outros navegadores também

Não é apenas a Google que investe nessa questão dos anúncios. O navegador Opera também tem seu adblocker. A empresa diz que, com o dispositivo, os downloads tem melhor desempenho. As páginas baixam entre 62% e 90% mais velozes. O que é bastante, sem dúvida! Para conhecer mais sobre essa opção, basta acessar o site do próprio Opera.

O Firefox Mozilla tem extensão que permite de remoção de publicidade online até bloqueio dos domínios conhecidos como malware. A palavra vem de malicious software: que se infiltra em computadores ilicitamente, para causar dano ou roubo de informações. O Adblock Plus tem várias ferramentas, como opção no menu de contexto das imagens, aba bloqueadora nos objetos de Flash e Java, lista para remover scripts. Se você usa o Mozilla, vale baixar para testá-lo.

Gostou do conteúdo? Compartilha com os amigos! Aproveita também para conferir um manual de boa práticas e aumente a segurança da sua navegação.

Gostou da notícia?

Telefônica
Vivo. Patrocinadora Oficial da Seleção dos Brasileiros
Viva Tudo
172.30.0.142