Descubra onde as bicicletas elétricas são usadas no mundo

Como transporte, lazer ou para fiscalizar o trânsito. Entenda porque a bicicleta elétrica está cada vez mais sendo usada.

27/07/2018 às 9:00

As ciclovias causaram polêmica ao serem implementadas nas cidades brasileiras. Porém, hoje já se tornaram parte do cotidiano. Afinal,  seja para o trabalho ou lazer, muitas pessoas optaram por trocar o carro pelas bicicletas. É em meio a esses novos hábitos que as bicicletas elétricas chamam atenção como opção de transporte nas grandes cidades.

Pensando na mobilidade urbana, o Uber vai lançar, na Alemanha, o serviço de aluguel de bicicletas.  O projeto chamado de  JUMP Bikes busca diversificar e construir laços com as autoridades alemãs. O mesmo serviço já está  integrado ao app do Uber em San Francisco, na Califórnia.

Os americanos localizam as bikes pelo aplicativo e pagam apenas U$ 2 (cerca de R$ 7,70) para fazer viagens de até 30 minutos. Nos EUA o compartilhamento de bicicletas elétricas não usa estações fixas, porque o equipamento é rastreado via GPS.  Consequentemente, para devolver, os usuários podem deixá-las em qualquer bicicletário.

Gif de pessoas andando de bicicletas

Vai de bike!

No Brasil,  se você quiser alugar uma bike pode procurar a E-Moving Mobilidade Urbana, uma startup criada em 2017. Ela aluga bicicletas elétricas para curtas e médias distâncias.

A empresa conta com 370 veículos, uma operação com fila de espera de seis meses e planos que custam a partir de R$ 200. Seu público é bastante diversificado: pessoas físicas, empresas de delivery, hotéis, e pessoa jurídica.

Apesar dessa variedade, é interessante perceber que 65% do faturamento da empresa corresponde a pessoas físicas. Por isso, atualmente, a E-Moving busca atrair a participação do público corporativo. Assim, a startup tem ressaltado o aspecto sustentável de seu negócio para fazer com que eles considerem a locação das bicicletas elétricas.

bicicleta elétrica

No Brasil, há planos para aluguel de bicicletas elétricas que custam a partir de R$ 200.

Se você mora em grandes cidades, como São Paulo, sabe que, em determinados horários, não há como evitar o trânsito. Foi pensando nisso que a Bikxi, uma empresa que funciona como um Uber de duas rodas, foi criada.

Para utilizar o serviço, primeiro você indica no aplicativo pontos de partida e chegada. Aí basta esperar o condutor. Bem fácil de usar! A tarifa custa a partir de R$ 3,50.

Porém, por enquanto, o serviço só funciona entre a Vila Leopoldina, Zona Oeste paulista, e o shopping Morumbi,  Zona Sul.

Conheça também outros apps de compartilhamento de bikes que, cada vez mais, começam a ganhar espaço em grandes centros urbanos do mundo.

O futuro é agora: fiscalizar o trânsito com bikes

Em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, a Empresa Pública de Transportes e Circulação (EPTC) testa o uso dos veículos para auxiliar na fiscalização do trânsito da cidade.

O projeto tem como objetivo usar as bicicletas elétricas por 60 dias para aumentar a eficiência da fiscalização. A capital gaúcha é a primeira cidade do Brasil a utilizar os equipamentos para supervisionar o trânsito.

A mudança tem um baixo custo e, além disso, como as bicicletas elétricas andam mais rápido do que as comuns, consequentemente o deslocamento dos agentes ficará mais fácil.

Atualmente, 40 agentes trabalham com bicicletas e percorrem, em média, cerca de 30 quilômetros a cada turno de seis horas. Após os dois meses de testes, a EPTC vai elaborar um relatório sobre o uso dos equipamentos. A iniciativa conta com a parceria da Move Your Life Brasil.

bicicletas elétricas Porto Alegre

O teste será feito durante dois meses. (Imagem: Maria Ana Krack/PMPA).

Bicicletas elétricas e o meio ambiente

As bikes já eram uma realidade em muitos países e têm certamente tudo para conquistar cada vez mais público no Brasil. Até porque estudos demonstram que a bicicleta é uma ótima alternativa para as pessoas que não conseguem, por falta de tempo ou pela rotina cheia, dar prioridade aos exercícios físicos.

Em Portugal, mais precisamente em Lisboa, a Steez, uma loja de aluguel de bicicletas elétricas, incentiva os turistas  a se aventurarem pela cidade usando os veículos. E não é só por lá que isso acontece. Várias empresas pelo mundo vendem essa ideia como uma forma de fugir do trânsito, ser sustentável e saudável.

 Até porque não dá para negar que apostar em bicicletas como transporte traz ganhos para a saúde, ajuda o meio ambiente e demonstra respeito e preocupação com o futuro.

Contudo, apesar do motor elétrico auxiliar, não se engane! A versão elétrica da bicicleta continua sendo para pedalar. Consequentemente, você vai treinar pernas, pulmão e condicionamento físico ao aderir a essa modalidade de transporte.

Para saber os modelos disponíveis no Brasil e o que fazer para se proteger dos riscos e lesões, leia aqui no Vivo Tech os 10 mandamentos de segurança das bikes.

Gostou da notícia?

campo obrigátório

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá o melhor da tecnologia no seu email