Bateria solar: Xiaomi trabalha na ideia para smartphone

Chinesa Xiaomi patenteou um modelo de celular com bateria solar para aumentar a autonomia do aparelho.

08/01/2020 às 9:00

Há muito tempo os fabricantes de celulares sonham com bateria solar para fornecer energia aos aparelhos. Mas não é fácil, porque usualmente a luz do sol necessita de grandes placas fotovoltaicas para gerar energia. Ou seja, na teoria, a energia para um celular só poderia ser gerada por uma placa bem maior que ele. Mas recentemente a chinesa Xiaomi, conhecida como empresa inovadora, registrou patente de um smartphone com bateria solar.

É, por conseguinte, um avanço surpreendente e gerou admiração e curiosidade em todo o mundo. Mas antes de saber detalhes da criação da Xiaomi, que ainda não foi lançada, confira abaixo como as pesquisas sobre bateria solar para celulares evoluíram.

Primeiro celular com bateria solar

A Samsung foi pioneira na área, lançando em 2009 um modelo com bateria solar. Chamava-se Guru e destinava-se ao mercado indiano, que é imenso e consome principalmente modelos de baixíssimo preço. Além disso, a Samsung tinha como meta conquistar, ainda, vários outros mercados onde a falta de energia elétrica era constante.

Samsung Guru, de 2009, com bateria solar na traseira.
Samsung Guru, de 2009, com placa solar na traseira.

A fim de ser barato, é importante ressaltar que o Guru não era um smartphone. No entanto, não obteve sucesso, porque o carregamento era muito lento. Para uma conversa de 5 a 10 minutos, o telefone devia, antes, passar uma hora exposto ao sol. Como resultado, à noite e em dias de chuva, o aparelho se tornava praticamente inútil.

O modelo Blue Earth

Posteriormente, mas ainda no mesmo ano, a Samsung fez nova investida na área com o modelo Blue Earth. Mais avançado, com acesso à internet e GPS, tinha uma pegada ambientalista. Não só era feito de materiais reciclados, como era vendido em uma caixa de papelão que funcionava como suporte.

 Samsung Blue Earth: bateria solar e cuidado com o ambiente.
Samsung Blue Earth: bateria solar e cuidado com o ambiente.

Portanto, esse modelo tinha mais autonomia, até 20 minutos com uma hora de luz solar. Entretanto, o fornecimento de energia ainda era limitado, e o Blue Earth acabou superado pelos avanços tecnológicos que se sucederam.

De lá para cá certamente todos os fabricantes fizeram muitas pesquisas nesse campo. Entretanto, ninguém lançou nada parecido, até porque as necessidades de energia dos smartphones contemporâneos é muito mais alta do que a dos aparelhos de dez anos atrás.

Xiaomi avança na bateria solar

Agora, a Xiaomi registrou patente de um celular com bateria solar no WIPO (sigla em inglês para Escritório Internacional de Propriedade Intelectual). O modelo segue a proposta de 2009 da Samsung: uma placa fotovoltaica na traseira.

Contudo, é evidente que a nova placa gerará mais energia e mais rapidamente do que acontecia há dez anos. Além disso, ela não deverá ser a fonte primária de energia para o smartphone. Em suma, o aparelho terá uma entrada USB convencional, e a energia da bateria solar será apenas complementar, para aumentar a autonomia.

É mesmo interessante: você está na rua, caminhando ao sol, e a placa fotovoltaica aumenta a carga da bateria de seu smartphone. Ou simplesmente o coloca na janela de sua casa. Veja o desenho da Xiaomi no pedido de patente:

Bateria solar: veja ideia da Xiaomi.
Placa fotovoltaica para a bateria solar nem é muito grande.

O modelo proposto parece ser bem avançado, já que o dispositivo nem apresenta o espaço (o chamado notch) para a câmera de selfie e sensores na parte frontal.

 Site Let’s Go Digital fez desenho imaginando como será o Xiaomi com bateria solar.
Site Let’s Go Digital fez desenho imaginando como será o Xiaomi com bateria solar.

Detalhes não revelados

Os sensores, provavelmente, devem estar ocultos sob a tela. E nada mais se sabe! Não houve vazamento de outros detalhes técnicos ou de uma eventual data de lançamento.

Mas, seja como for, dá para esperar que outros fabricantes avancem no campo da bateria solar, já que é a energia mais limpa e barata que existe.

Carregador solar emborrachado

Por outro lado, se você fica muito tempo ao sol, existe uma alternativa interessante: carregadores de bateria com energia solar. Perfeitos para quem vai à praia ou à piscina, esses carregadores usam a luz do sol para carregar a bateria do smartphone.

No Mercado Livre você encontra pelo menos dois modelos. Este carregador mede 14,3 x 7,5 cm. Ou seja, é uma peça relativamente grande, maior que o celular. Veja como é:

Imagem do carregador solar.
O carregador solar de bateria é próprio para praia e piscina.

Basta colocá-lo ao sol e conectar o cabo USB (fornecido com o carregador) no celular. Ele simplesmente transforma a luz solar em energia elétrica e a transfere à bateria do smartphone. Seu preço médio é de RS 42.

Carregador solar grande

Já este outro carregador solar é bem maior, medindo 17 x 14 cm. É uma boa área de placa fotovoltaica para gerar energia.

Imagem do carregador solar.
Dispositivo oferece independência energética.

Igualmente pensado para uso em praia, piscina e locais onde o usuário de celular necessita de independência energética, ele certamente é uma boa solução – desde que haja luz do sol. O funcionamento é sem dúvida muito simples: basta colocar a placa ao sol e ligar o cabo USB (fornecido em conjunto) no celular. O preço é de R$ 125.

Carregadores solares são interessantes, mas a ideia da Xiaomi promete mais. Ela revela que certamente, no futuro, teremos celulares com bateria solar. E essa é uma bela perspectiva, concorda?

Aliás, vale a pena ler também um ótimo artigo sobre os avanços em baterias de celular. Além disso, leia sobre o que fazer quando acaba a memória de seu smartphone.

Veja mais sobre
Tecnologiatelefonia móvel
campo obrigátório

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá o melhor da tecnologia no seu email