Por que a bateria de celular não dura?

O celular avançou e se tornou poderoso em um ritmo bem mais rápido que a evolução da bateria de celular. Entenda os motivos aqui.

07/10/2019 às 14:00

Na excelente série Years and Years, exibida nos canais HBO, os celulares têm baterias que duram 10 anos com uma única carga. Entretanto, a história se passa em 2029, não nos tempos atuais. Por enquanto, bateria de celular aguenta pouco tempo. Ou seja, é difícil fazer com que o telefone funcione um dia inteiro longe da tomada.

Entretanto, você lembra que não foi sempre assim? Antes dos smartphones, quando os telefones móveis serviam somente para fazer ligações e enviar mensagens de texto, a bateria de celular não era motivo de preocupação e durava muito. Aliás, até um mês! Hoje, aparelhos de ponta têm cada vez baterias mais poderosas, contudo, não duram muito.

Por que a bateria de celular não dura?
Bateria de celular com potência insuficiente segue como regra.

Bateria de celular sofre com Lei de Moore

Mas, o que aconteceu com a bateria de celular? A resposta está na Lei de Moore. Essa lei, enunciada em 1965 pelo fundador da Intel, Greg Moore, diz que o poder de processamento de computadores (e celulares são computadores) dobra a cada 18 meses.

A lei continua válida e, portanto, aumento na capacidade de processamento demanda de fato mais energia. E o fato é que a taxa de desenvolvimento dos aparelhos acontece em ritmo muito mais acelerado que a da bateria de celular.

As telas são cada vez maiores e mais brilhantes, os processadores mais rápidos e os aplicativos (como jogos pesados) demandam muita energia. E haja bateria para atender todas essas necessidades. Todavia, não é que as baterias não tenham avançado tecnologicamente. Baterias de 4.100 mAh são hoje menores do que eram baterias de 1.100 mAh alguns anos atrás.

Desenvolvimento no limite

Esses avanços foram conseguidos pela diminuição de componentes internos, aumentando a densidade de energia da bateria de celular (a quantidade de energia que ela acumula por peso). Mas esse processo já chegou ao limite, não há mais o que possa ser reduzido em tamanho. Avanços na densidade de energia só poderão vir por meio de novos materiais. Muitos são testados, mas a maioria é lento e não pode ser considerado avanço de engenharia.

Fazer com que bateria de celular tenha duração maior é preocupação de todos os fabricantes.
Fazer com que bateria de celular tenha duração maior é preocupação de todos os fabricantes.

Uma esperança surge na Samsung, que está testando uma bateria de celular feita de grafeno. Há rumores de que ela pode equipar os smartphones da marca coreana a partir de 2020. O grafeno é uma forma de carbono com propriedades diferenciadas. A bateria feita com esse material seria mais leve e teria 45% a mais de densidade energética. Ou seja, ao invés de 4.100 mAh, 5.945 mAh com um tamanho apenas 5% maior.

Pesquisas com outros materiais

Além disso, o tempo de carregamento seria bem menor: apenas 30 minutos para carga total. Se isso se confirmar, teremos um avanço real. Entretanto, por enquanto existem apenas rumores.

A bateria de celular atual é do tipo lítio cobalto, uma tecnologia desenvolvida nos anos 1990. Essa tecnologia já atingiu seu limite, nenhum grande avanço é esperado.

Além do mais, pesquisas também são feitas em mudança completa de tecnologia, como baterias solid state (ou estado sólido). Ou seja, armazenar energia em bateria de celular da mesma forma como são armazenados dados.

Como economizar bateria?

Ninguém sabe ainda se o grafeno ou mesmo o solid state vão produzir os resultados esperados. Porém, já há uma preocupação de que a Lei de Moore continue em vigor. Aí, quando (e se) as novas baterias chegarem ao mercado, os celulares já serão mais poderosos e vão exigir ainda mais energia. É, aparentemente, um círculo vicioso que faz a alegria dos fabricantes de baterias externas, os chamados power banks.

Aliás, você tem um celular com bateria menor do que suas necessidades diárias? Pois, saiba que sempre é possível fazê-la durar mais um pouco por meio de algumas dicas que damos a seguir.

Em primeiro lugar, desligue as conexões Bluetooth e Wi-Fi. Depois, desligue o modo vibração. Além disso, não faça fotos com flash, diminua o brilho da tela. Lembre-se ainda de fechar os aplicativos que não estiver usando e só busque sinal quando realmente for necessário.

Da mesma forma, só ative a localização por GPS quando necessitar. Similarmente, diminua o tempo limite de tela ligada, reduza ao máximo as notificações e mantenha ainda seus apps atualizados.

Baterias externas ajudam

Por que a bateria de celular não dura?
Bateria de celular externa é uma alternativa para uso mais prolongado.

Outra alternativa está nas baterias externas, que você encontra, com variadas capacidades e preços, em lojas de acessórios para celulares. E igualmente são muitas as opções no comércio eletrônico, como você pode conferir no Google Shopping.

O antigo e excelente (em seu tempo) Nokia 3310, lançado em 2000, tinha uma bateria que durava até um mês. Ainda é possível ter uma autonomia grande hoje em dia? Por incrível que pareça, a resposta é sim, desde que você abra mão de muitas coisas.

Por que a bateria de celular não dura?
O novo Nokia 3310: a bateria dura, mas o telefone é limitado.

E isso porque a Nokia relançou o 3310, em uma versão mais moderna. Ele tem uma câmera de 2 MP, limitada capacidade de armazenamento e de internet.

É um telefone básico, que não dá acesso a muitas redes sociais, não tem tela sensível ao toque e só roda os joguinhos pré-instalados (como o clássico Snake). Como o antigo, é ótimo para telefonar, enviar SMS e não se preocupar com bateria por até seis dias. Um consolo: ele roda o WhatsApp.

Estamos sempre de olho nas novidades. Por exemplo, no início de 2019, quando ocorreu o Mobile World Congress, em Barcelona, mostramos matéria sobre uma bateria que dura uma semana. Ela ainda não chegou ao mercado, mas seguimos de olho.

Gostou da notícia?

Veja mais sobre
Tecnologiatelefonia móvel
campo obrigátório

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá o melhor da tecnologia no seu email