Área da saúde tem futuro promissor e repleto de inovação

Pesquisas para curar doenças graves, pílulas digitais, robôs, dispositivos e aplicativos contribuem com a evolução do setor.

Sabe-se que a longevidade, atualmente, beira os 100 anos. Muitas pessoas sonham em chegar a essa idade ou até superar a marca, mas para isso, ter boa saúde é determinante. Levando em consideração que soluções tecnológicas na área estão em alta, não fica difícil imaginar que viver por muito tempo e bem, logo, será realidade.

Inovações que vão desde a conexão entre médico e paciente até projetos de inteligência artificial, realidade virtual e impressão 3D já existem. Pesquisas, descobertas e protótipos surgem a cada novo dia.

Recentemente, cientistas chineses anunciaram uma tecnologia, que através da edição de genes, pode ser aplicada na cura de temidas doenças como câncer e HIV. O estudo ainda é recente, mas torna o debate entre pesquisadores orientais e ocidentais realidade. Sem falar, na esperança que carrega ao ser noticiado por grandes veículos como o The Wall Street Journal.

Outro avanço que chama atenção são as pílulas digitais. Esses “comprimidos inteligentes” prometem revolucionar o mercado farmacêutico, pois garantem que o tratamento está sendo seguido a risca. Como? Quando o paciente ingere a “pílula digital”, o médico e os familiares são automaticamente informados via aplicativo. De acordo com a plataforma StartSe, a tecnologia foi aprovada pela agência regulatória dos EUA, e está sendo utilizada em medicamentos para esquizofrenia. Em breve, ainda será disponibilizada para diabetes e tratamentos do coração.

No quesito robôs, diferentes tipos executam funções importantes. No Brasil, grandes hospitais já contam com esse tipo de auxílio no processo cirúrgico. A unidade hospitalar premium da Beneficência Portuguesa de São Paulo, por exemplo, acaba de adquirir o robô da Vinci Xi Surgical System. O modelo faz parte da última geração do equipamento destinado à realização de intervenções cirúrgicas minimamente invasivas.

Agora, se você tem medo de tirar sangue, ao que tudo indica esse pesadelo está com os dias contados. A Seventh Sense Biosystems desenvolveu um dispositivo que faz a coleta sem agulha. Isso mesmo! 

Foto do dispositivo TAP no braço de um paciente
Imagem: divulgação

Com o TAP, o profissional da saúde só precisa limpar a área, prender o aparelho ao braço do paciente e apertar o botão para ligá-lo. Um total de 30 agulhas bem fininhas penetram as camadas mais superficiais da pele. O procedimento dura em média dois minutos, e revoluciona a coleta de sangue, pois não dói nada.

Os aplicativos também são bons aliados do setor. Tem aqueles para lembrar de tomar água ou o seu medicamento diário. Outros facilitam o agendamento e status de consultas. Eis que a Apple chega com uma atualização do Healthcare que o torna extremamente completo.

Foto da tela de um smartphone mostrando o aplicativo Healthcare
Imagem: divulgação

Na versão 11.3 do iOS, o app traz a sessão Health Records que permite organizar e visualizar todo seu histórico médico. Para tornar isso possível, a Apple está realizando parcerias com clínicas e hospitais. Alguns hospitais já disponibilizam documentos em sites ou por e-mail, e a ideia da Apple é fazer disso um processo automático – e no próprio aplicativo. Dessa forma, toda vez que um médico atualizar a sua ficha, você receberá uma notificação de novo dado. E mais: tudo isso protegido por criptografia, de forma que uma senha de acesso garante total segurança.

E por que não falar em saúde mental? Existem tecnologias nessa área da medicina também. O Cíngulopor exemplo, é um aplicativo brasileiro que segue técnicas de autoterapia. Através de textos curtos, vídeos e áudios, o app instiga a reflexão. O conteúdo e os procedimentos foram baseados em diversos estudos científicos, realizados ao longo de dez anos. Ou seja, o aplicativo foi construído e testado por pessoas da área e que, por ser tão eficiente, já está sendo utilizado como complemento às sessões tradicionais de terapia.

Enfim! Todas essas informações trazem uma visão macro sobre a tecnologia aplicada à saúde. Agora, imagina a infinidade de possibilidades ao observar tudo isso em um microscópio? Sem dúvida, o futuro do segmento saúde é promissor e repleto de inovação.