Pesquisa utiliza análise de dados para aprimorar abordagem de médico com paciente

Estudo pretende determinar como um diagnóstico de diabetes tipo 2 (DM2) pode afetar o tratamento e a saúde do paciente a longo prazo.

14/11/2017 às 15:39

A “análise de dados” é normalmente utilizada em processos tecnológicos e pelos profissionais de Marketing. Mas você já pensou neste termo para melhor a interação entre médico e paciente? Parece uma ideia fora do eixo, eu sei. Mas há pessoas da área da saúde dispostas a afunilar essa relação. Victoria Gamerman, chefe do departamento Health Informatics and Analytics da empresa farmacêutica Boehringer Ingelheim é uma delas.

A pesquisadora está realizando um estudo que discute como o diagnóstico de diabetes do tipo 2 (DM2) pode afetar o tratamento e a saúde do paciente a longo prazo. A pesquisa foi divulgada durante o Big Data & Analytics for Pharma Summit, evento que acontece na Filadélfia.

Ou seja, através da análise de dados qualitativos como mensagens, temas e sentimentos, angariados em questionários, o estudo pretende entender como a forma que o médico comunica a doença pode ter influência no tratamento do paciente a longo prazo.

Até agora, a equipe de Gamerman descobriu que os pacientes acreditam que seus médicos devem usar uma linguagem mais encorajadora e colaborativa, e as recomendações de recursos de abordagem não tiveram impacto significativo nos sentimentos dos pacientes sobre seus novos diagnósticos. Os médicos, por sua vez, geralmente sentiam que estavam sendo “honestos e objetivos” com seus pacientes. Isso pode não validar a hipótese do estudo. Mas é uma faísca inicial para um outro estudo complexo.

“O conhecimento a partir da análise de dados pode mudar a vida de um paciente, ou mudar o mundo”, disse ela, citando Atul Butte. ” É por isso que eu me levanto todas as manhãs. É por isso que trabalho.”


Fonte: HealthCareAnalyticsNews

Gostou da notícia?

campo obrigátório

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá o melhor da tecnologia no seu email