Apple não poderá encerrar processo sobre Facetime

Companhia é processada por eliminar o aplicativo do iOS 6 e fazer com que os usuários migrassem para o iOS 7.

Em fevereiro, dois californianos processaram a Apple porque a empresa deixou de atualizar o FaceTime para o iPhone 4. A situação é resultado de a Apple querer reduzir o custo do uso de servidores de terceiros para gerenciar as chamadas do FaceTime.

Mas a Apple não poderá dar o caso por encerrado. Isso porque o juiz que cuidou do caso entendeu que quando se compra um iPhone, o aplicativo faz parte do produto, não podendo deixar de existir de uma hora para outra.

Juiz alega manobra da Apple contra usuários

Aos consumidores, a Apple divulgou que o FaceTime parou de funcionar nos aparelhos por conta de uma expiração dos certificados quando, na realidade, desabilitou o app para ganhar vantagens financeiras e reduzir as taxas de retransmissão.

Para essa alegação, o juiz esclareceu que “os demandantes não alegam que a operação do FaceTime foi interrompida ou que continha erros. Eles alegam que a Apple não disponibilizou o FaceTime para os proprietários dos dispositivos iPhone 4 e 4S”. Uma nova audiência está marcada para o fim deste mês.


Fonte: Engadget


Veja mais sobre